Carregando...

Glutamina

Glutamina

A Glutamina é um aminoácido não essencial, ou seja, que é produzida pelo nosso organismo. Sendo um aminoácido livre, a mesma está presente em abundância em nosso organismo, ficando disponível no plasma e nos tecidos musculares, tornando-a importantíssima em vários processos metabólicos, incluindo a síntese proteica.

 

No entanto, apesar de ser produzida em grandes quantidades naturalmente, quando o corpo passa por condições hipercatabólicas após treinos intensos ou dietas restritas, a síntese do aminoácido não é suficiente para suprir a demanda do organismo. Nesse caso, podem ocorrer problemas como lentidão na produção endógena e enfraquecimento do sistema imunológico. Por isso, a suplementação de glutamina torna-se uma alternativa para aprimorar funções metabólicas e garantir o aporte nutricional.

PARA QUE SERVE A GLUTAMINA?

 

Além de sua importância na síntese proteica, ela é indispensável no metabolismo corpóreo, pois todo tipo de estresse demanda uma quantidade muito grande de glutamina. Isso inclui, por exemplo, casos de traumatismo, cirurgias, queimaduras, exercícios físicos intensos, alterações psicológicas e ansiedade. Devido à sua participação em diversas vias metabólicas e reações orgânicas, ela tem a capacidade de ajudar na recuperação do sistema imunológico, fornecer glicogênio para os músculos, evitar a perda muscular e também servir como substrato para o fornecimento energético do cérebro e muitos outros benefícios.

 

QUANDO DEVO CONSUMIR GLUTAMINA?

 

Existem muitas situações em que a síntese e a ingestão da glutamina por alimentos não são suficientes para suprir as necessidades diárias, sendo preciso recorrer à suplementação desse nutriente. Pessoas expostas a treinos diários de alta intensidade e longa duração ou que realizam dieta com baixa ingestão de proteínas por longos períodos; que foram submetidas a grandes cirurgias; que apresentam quadro de infecção generalizada; que sofreram queimaduras extensas e enfrentam doenças crônicas como câncer e AIDS fazem uso do suplemento à base de glutamina para aumentar a saúde, por indicação de médicos e especialistas em nutrição.

 

No caso de atletas de alto rendimento, a suplementação se faz necessária porque durante a prática esportiva os níveis de glutamina ficam cronicamente baixos. E, uma vez que ocorre o desequilíbrio entre a produção/liberação e captação/utilização da glutamina pelo organismo, a indisponibilidade desse aminoácido para as células do sistema imune pode comprometer o sistema imunológico, gerando estresse e fadiga muscular e aumentando a suscetibilidade a indisposições e processos infecciosos. Considerando que em uma sessão de treino o gasto da glutamina pode variar de 40% até 50%, fazer a reposição diariamente garante que o aminoácido seja recuperado em até 24 horas. A não reposição em um tempo curto automaticamente expõe o organismo a danos pela falta do nutriente.

 

Quanto a dose diária a ser ingerida, o correto é individualizar de acordo com as necessidades específicas para cada caso. Mas, em geral, para atletas a dose diária recomendada de glutamina varia de 10 a 20 gramas, fracionadas em até quatro porções de cinco gramas para aumentar as reservas orgânicas, sem impor problemas significativos de absorção.